Monday, January 16, 2017

[Discoteca Básica do Empório] SMAP - "SMAP 25 YEARS" (2016)




Uma das coisas que não costumo postar é review pessoal de coletânea de algum artista nesta categoria. Motivo: SEMPRE vai ter gente reclamando que faltou uma música ou outra, o que é normal e a gente acaba se conformando com o que lançam. Ou porque coletânea vai ter as mesmas músicas batidonas de sempre. Mas coletânea acontece o seguinte: ou o ouvinte quer ter de lembrança ou acaba se tornando fã ao ponto de procurar as obras anteriores do artista (experiência própria).

Wednesday, January 04, 2017

Feliz Natal e Próspero Ano Novo



Muito atrasada a respeito do Natal, mas o que vale mesmo é a intenção.

Primeiro, desejando a todos um Feliz Natal  atrasado, e que as verdadeiras intenções da data é que se repitam todos os 365 dias do ano, que é termos paz, saúde e felicidades. Por mais dias que possamos ser mais complacentes, empáticos, compreensivos, ser menos críticos e reclamões.

Que tenhamos mais união para fazermos algo útil, que as famílias sejam mais unidas. De verdade.

O que tenho visto muito nas redes sociais, é muita gente detestando a data. No que deveria ser uma data em que seria especial em todos os sentidos, acaba virando motivo de discórdia. Espero que no ano seguinte a mente dessas pessoas mude.

Todo final de ano, desejamos sempre que o ano seguinte seja melhor do que o anterior. Muitas vezes eu parei para pensar sobre o ano que passei. Alguns passei bem, outros com vontade de chorar. Mas 2016, se eu fizer uma lista do que fiz/aconteceu/deixei de fazer, meu saldo foi positivo. OK, antes que me critiquem, mas momentos ruins a gente acaba encarando e tenta dar a volta por cima. E melhorar para o ano seguinte.

Que 2017 seja um ano repleto de realizações, de coisas boas, saúde, felicidades e amor. Que tenhamos mais compreensão e empatia, mais reflexão e agir.

E que eu também comece o ano bem, sem problemas, nem turbulências, que eu aproveite o feriado nem que seja dormindo/repondo energias/comendo pra caramba/assistindo todos os programas de fim de ano atrasados, porque ao menos precisarei recarregar as baterias para enfrentar o trabalho a partir do dia 10 (porque dias 5 e 6 sei lá eu o que vai acontecer e preciso ir trabalhar, ne, ou como pagarei minhas contas/juntar grana para viajar e/ou ir no show dos meus ídolos - ainda mais que o meu ídolo maior ever aka Paul McCartney VOLTA AO JAPAO NOVAMENTE EM 2017 - que fiquei sabendo no Kouhaku Utagassen. *levando a primeira tijolada do ano*

O importante como sempre frisei e minha mãe sempre me cobra toda vez que converso com ela: ter saúde. Tendo saúde, você terá condições de evoluir e conseguir o que quiser. Tirando três vezes que fiquei de cama por causa de febre (infelizmente, por mais que eu me previna, acabo contraindo resfriado muito fácil, ao ponto de eu passar dois dias de cama), e crises de kafunshoo (uso de máscara, pingar colírio e fazer lavagem nasal), o resto do ano passei tão bem que consegui realizar boa parte do que eu queria. Mesmo com alguns perrengues, mas consegui contornar. *amen*

Claro que este cantinho que eu tenho maior amor, necessitará muito mais de atenção, porque desde sei lá quando, eu esqueço completamente de fazer postagens legais, de coisas que descubro aqui ou dar dicas de algo como, doramas, manga e j-pop.

Espero mesmo que 2017 melhore em todos os aspectos, porque senão que faremos para o nosso futuro daqui por diante?

Foto: da autora, quando no primeiro dia do ano recebeu cartões postais dos FCs que tem conta. 

Friday, December 23, 2016

Fim de um ciclo e início de outro

Eu sei que estamos em dezembro, quase na semana final. E aquela velha história: "ai este ano foi ruim, pior que o anterior", essa reclamação toda. Tá, eu entendo que a situação não está lá aquelas maravilhas, mas se a gente parar pra pensar, é a gente mesmo que não toma alguma atitude pra melhorar. Vamos dizer: se você não melhora a si mesmo, parar pra pensar nas atitudes do cotidiano, você tem poder para reclamar do que os outros fazem?

Se eu for fazer meu balanço a respeito deste ano, não posso reclamar. Pelo menos, estou trabalhando e tendo como pagar minhas contas e se manter. E com saúde, o mais importante.

Embora eu tivesse que mudar de cidade por causa do emprego, eu não posso reclamar, apesar do salário não ser aquelas maravilhas, mas como disse no parágrafo anterior, tendo saúde para continuar trabalhando e recebendo o esperado salário para pagar contas/tendo o que comer/ e se divertir um pouco (para não pirar)...

Não é de hoje que me preocupo com o quesito saúde. Desde que me conheço por gente, meus pais sempre deram a importância dela. Isso porque tive rubéola e caxumba quando criança e era horrível ficar em casa passando mal (o lado bom era que eu estava liberada para ler gibis e assistir desenho animado). Mesmo quando na fase escolar, na faculdade e no trabalho, o máximo que peguei foi resfriado (mas quando pego, é daqueles que me dá febre que me derruba por dois dias). Felizmente, nada grave.

Quando você mora no exterior, seus cuidados dobram, melhor dizendo, multiplicam. Começa com a barreira da linguagem. Segundo, mesmo sendo fluente e até com ajuda de tradutor, pode correr o risco de derem diagnóstico errado. Fora que sai MUITO caro se não estiver pagando seguro-saúde.

Voltando ao foco sobre o ano que está terminando. Eu diria que mais um ciclo se fecha, e temos que aprender com o quê aconteceu durante o ano para não [tentarmos] repetir no próximo. A mesma coisa que a gente fala todo ano, certo? Só que a gente dificilmente cumpre. Ou esquece. Ou acontece muita coisa no percurso que as resoluções do ano Novo ficaram para trás. (E bem que a gente tenta anotar na agenda, no calendário, num pedaço de papel e prega na parede, na porta da geladeira, sei lá...)

Como a gente sempre diz: melhor não planejar tanta coisa (experiência própria), mas algumas coisas necessitam de planejamento, como adquirir algum bem, ou poupar para alguma eventualidade. Ok, a gente tenta, ao menos.

O ano já está no fim, mas não significa que não dê pra aproveitar nada. Até acho que dá pra fazer muita coisa. Só sabermos aproveitar o tempo. (O que eu gostaria de aproveitar muito mais)

Este ano fechamos mais um ciclo na vida. Que o ano seguinte iniciemos um novo ciclo e que este possamos realizar nossos sonhos, atingirmos nossos objetivos, mesmo sabendo que nunca é fácil.

Wednesday, December 14, 2016

[Pequenas Coisas que me fazem Feliz] Mangás



Hábito de ler histórias em quadrinhos, eu tenho desde criança. Segundo minha mãe, eu aprendi a ler aos quatro anos, com os gibis da Turma da Mônica, que meu pai fazia questão de comprar todo mês. Embora eu não compre (porque acho difícil encontrar aqui), eu ainda leio no site oficial.

Tuesday, December 13, 2016

Onze Anos

Dia 4 de dezembro este Empório fez mais um ano de vida e eu sempre esqueço de fazer alguma postagem especial no dia, sempre acaba sendo bem depois. Mas ainda estamos em dezembro, então está valendo.

Um tempinho atrás estava dando uma percorrida no Empório - que começou com postagens bem aleatórias e ainda continua sendo -, realmente, eu postava BEM mais, sendo que na época eu tinha a vida muito mais corrida do que hoje. Se bem que de cinco ou seis anos pra cá, passei a postar com menos frequência. Muitos dizem, "melhor postar pouco mas com qualidade, do que postar todo dia e nada prestar".

Se perguntarem pra mim "qual o propósito de seu blog", eu responderia: "nenhum, eu posto assunto muito aleatório e não tenho público definido". Embora tenha gente querendo saber como é morar no exterior, trabalhar, etc. Eu vejo que a maioria dos blogueiros que moram no exterior, possuem outras ocupações como na área de TI ou similares, ou são intercambistas. Se eu fosse postar como é a vida aqui, haverão controvérsias, ou vão dizer que estou tapando o sol com a peneira ou estou exagerando demais, então fico na descoberta de lugares pra comer, cafeterias, entretenimento e olhe lá.

Eu sei que estou devendo mais postagens sobre a região onde estou hoje, mas eu quase nem saio da região metropolitana de Nagoya (as vantagens de ter o do-nichi pass, que um dia desses eu vou tentar explicar como funciona), então, se eu falar da região será... COMIDA!!! Claro que a região possui outras coisas boas (como o Museu da Ciência, a Torre de Nagoya, o Porto e o Jardim Botânico), só questão de eu criar vergonha na cara e sair aos domingos.

Uma das coisas que eu evito de postar seriam assuntos polêmicos. Já basta a gente ler nas redes sociais, blogs e outros lugares, então o assunto fica tão saturado a ponto de deixar qualquer um irritado. E mais gente postando, chega, né? Eu sei que a vida não são flores, mas também não vamos ficar plantando espinhos.

Quem pensa que não estou ciente do que se passa no mundo, estão enganados. Mas eu procuro nem comentar, porque sei que vai sair briga, discórdia, desrespeito, então melhor eu ficar no meu canto e quieta. Posso até nem concordar, mas prefiro guardar pra mim o que penso do que ficar discutindo com os outros correndo o risco de ser ameaçada. Sim, tem essas coisas.

Mas a vida segue, e vamos fazer com que ela seja melhor.


Monday, December 12, 2016

Hit Parade Particular ~ Primeira Semana de Dezembro

Atrasada e ainda esqueceu de fazer o da metade de novembro. Dar a desculpa de que falta tempo, já nem cola mais. Como a vida continua, vamos viver o presente e pensar no futuro. Claro que do passado, a gente PRECISA lembrar das coisas boas.

O mesmo a gente se aplica para músicas. Claro que existem aquelas que a gente quer botar no fundo da caixa e esquecer, mas são aquelas que a gente acaba lembrando não sei porquê.

Sunday, December 11, 2016

Quando brincar de Cosplay e Crossdresser vira assunto sério - Parte 1

Na programação da TV japonesa, acontece de algum artista aparecer vestido de mulher, mais para fins de comédia mesmo. Ou fazer cosplay de algum personagem de anime/manga ou parodiar/homenagear algum artista favorito. Seja como for, a maioria dos programas quase sempre vai acontecer de alguém aparecer vestido de mulher, com direito a salto alto e maquiagem, ou cosplay de algum personagem.



Tuesday, December 06, 2016

[J-Dorama] Relação entre sempai - kouhai da JE em doramas (parte 5)

Continuando com a saga (sim, saga porque o assunto vai ser looooooongo muuuuuuito looooongo) sobre os artistas da JE que protagonizam um dorama e traz um outro membro da agência a tiracolo (piada interna: filme/dorama que tem um membro da JE, traz outro de brinde). Mas por qual razão fazem isso? Quem falou "pra ver se dá mais audiência", claro que seria a resposta mais óbvia. Se bem que dependendo de quem for/que tipo de dorama é, nem aparece pro cafezinho.

Confesso que, quando pensei em fazer esse tópico, achei que ia ter um montão de doramas de sempais e kouhais da JE (porque toda temporada tem pelo menos três ou quatro doramas com eles), mas nããão...

Tsuyoshi Kusanagi (SMAP)


Kusanagi e Yuko Oshima em "Zeni no Sensou", último trabalho dele em dorama.

Tuesday, November 22, 2016

[Pequenas Coisas que me fazem Feliz] Cinema



Cada um tem o seu jeito de ser feliz, e uma das coisas que me alegram, é ir ao cinema, assistir um filme, pra me divertir e esquecer os problemas da vida caótica. Além de melhorar meu nível de compreensão da língua japonesa ouvindo, porque 99% dos filmes que assisti aqui são todos em língua japonesa.

Na minha coluna "Cine Pipoca", eu comento de filmes que assisti no cinema. Os que não tive tempo de ir ver na telona, acabei assistindo quando saiu em DVD e as vantagens de morar perto de uma locadora aqui. Eu consigo assistir quando realmente dá tempo, quando não tenho o que fazer mesmo depois de ter feito todo o dever de casa, e quando consigo desconto. Ok, não é porque eu tenho desconto que vou ficar assistindo filme que não me interessa.

Quando o enredo e o elenco me atraem, eu reservo um dia para ir ao cinema mais próximo de casa. Se bem que já teve filme que falaram tanto, tanto, tanto, fui assistir e foi uma tortura aguentar até o final. Aí teve filme que fizeram pouco caso, mas eu gostei. Bem, gosto nunca se discutiu né.

Eu procuro evitar ler críticas, porque isso pode acontecer de eu acabar nem assistindo tamanha a repercurssão negativa. De um bom tempo pra cá, parei de ler críticas e somente saber o enredo, quem vai atuar e ponto final. Uma coisa eu aprendi: é ir pra se divertir, relaxar e esquecer o mundo. A mesma coisa eu faço com doramas. Se as críticas são boas ou ruins, deixo de lado porque nem eu sou crítica. Posso até opinar, mas aconselhar a assistir, vai de cada um.

Em meus quase vinte anos aqui, eu comecei a ir ao cinema depois de 2006. Dois ou três filmes que assisti, me decepcionaram, mas a maioria eu gostei. Gênero que eu gosto é comédia, mas drama familiar e romance também são bem-vindos. Já assisti filme tenso e violento, mas filme água com açúcar eu curto.

Por mais que eu tente evitar, eu não consigo ficar sem comprar um balde de pipoca com refrigerante (minha cota: um copo por semana). Já teve filme que no meio estava sem pipoca nem refrigerante, mas teve outras vezes que acabei levando a pipoca pra viagem. Em casa, é a mesma coisa: tem que ter pipoca. No cinema, já consegui o combo na faixa porque eu tinha tanto desconto no point card que tive que dar um jeito de gastar.


Outra coisa que eu compro quando vou ao cinema, seria o panfleto do filme, contendo fotos, informações e tudo o mais. Teve filme que não consegui comprar porque tinha esgotado, mas acabei encontrando depois em outro cinema. Até loja de segunda mão, achei (e a precinho bem camarada).

O duro é quando você acaba gostando tanto do filme que acaba comprando o DVD especial, aí seria outra história.


Fotos: todos da autora.

Monday, November 21, 2016

Duplas Dinâmicas (Parte 2)

A nova dupla do momento ~ Sakura Daikon ~ formado por Sakurai Sho e Ohno Satoshi e... não, pera

Bem, se é pra fazer, vamos fazer direito, certo?

Sunday, November 20, 2016

Hit Parade Particular - Quinzena Especial da JE



Nada melhor do que a gente ter diversão ouvindo alguma música aleatória no rádio, no iTunes, ou sei lá onde quiser. Muitas vezes eu seleciono algumas no DHits (aplicativo da DoCoMo) e ficam no aleatório. Mas procurar músicas da JE (aka Johnny's Entertrainment) vira caso pra procurar de outras formas (ou quem morar aqui, apela pra alugar CDs no Tsutaya mais próximo de casa, com as vantagens que pode acumular pontos e usar depois *aloka dos point-cards*), porque quem conhece, sabe como é esse maldito esquema dessa agência, mas se os fãs se unirem, quem sabe a coisa mude (o fato de terem site oficial com fotos, nos sites dos doramas eles aparecerem ao invés de serem silhuetas, já foi um avanço).

Wednesday, November 16, 2016

[Pequenas Coisas que me fazem Feliz] Café



De um tempo para cá, percebo que as pessoas estão cada vez mais amargas, mais irônicas (levando pelo lado mau da coisa) e com muito rancor para dar e vender. O chato é que até de gente conhecida. Ok, a gente não dá pra ser 100% feliz e rindo a toa, porque a vida é dura. Mas também não dá pra ficar tacando vinagre na ferida ralada que aí fica difícil.

Muitas vezes a gente esquece das pequenas coisas que nos deixam felizes. Até coisinhas bobinhas, mas são o suficiente para esquecermos o quanto o mundo anda conspirando contra nós. Para alguns pode soar coisa idiota, sem noção, mas para quem quer um pouco de alegria na vida, já é algo muito importante.

CAFE 
Nem no Krispy Kreme escapa: CAFE COM LEITE GELADO



Isso todo mundo que me conhece, sabe: sou viciada em café. Não importa como, se é aqueles enlatados que compro nas máquinas, ou na cafeteria qualquer, ou passado na hora em casa ou na visita. Eu adoro café ao ponto de seguir alguns sites a respeito (mais conhecido como "grupo dos viciados amantes de café") e culminando com um cursinho relâmpago no Tully's. (Por sinal, eu deveria ter continuado o curso, mas nããão...)

Cafe Latte com leite de soja porque sou saudável :P

Uns dizem que café estimula, outros dizem que relaxa. Na maioria das vezes, me enquadro no segundo grupo, apesar que, nos dias de trabalho, acabo bebendo uns quatro ou cinco copos. Dos médios, porque eu trago de casa e ainda faço no almoço com aqueles coffee sticks, práticos e saborosos. Basta carregar um tumbler e ter água quente. Voltando, não existe coisa melhor do que encontrar azamiga de longa data, bater perna, e botar as novidades em dia numa cafeteria ou qualquer lugar que tenha mesa, cadeira e café (ou alguma outra bebida, de repente uma das partes pode não gostar/estar enjoada de café e essa pessoa não sou eu). Olha, não existe algo mais revigorante do que isso. Ok, sei que existe, mas no meu caso, voltei mesmo a ser uma consumidora assídua da iguaria. Acho que até mais do que chocolate...

Não basta apenas consumir, tem que APRENDER como se prepara....

Mesmo em casa, depois que volto do trabalho, assistindo noticiário ou dorama atrasado, acabo bebendo mais uma xícara.... digo, uma CANECA de café. E ainda consigo dormir, sério. Mas eu gosto dessa forma - a maioria das vezes que estou fazendo algum post, ao lado do PC, tem uma caneca de café. Já teve chá, suco, água, mas café faz parte da minha rotina. Sim, sei que pode me fazer mal ou não surtir mais efeito, mas até lá, deixem eu tomar meu cafezinho passado na hora, que seja.


(Assistindo "Cain and Abel" via Fuji On Demand porque não tenho como assistir em tempo real e bebendo o quê? Café com leite...)

E saudades do tempo em que eu fazia faculdade. Nas manhãs de sábado, era enfrentar a fila na cantina para comprar uma média - café com leite e pão com manteiga na chapa - para encarar quatro aulas de uma disciplina em comum a todos os cursos. Ou o chamado "pingado", que era somente café com leite (a gente pedia mais café que leite), que fazia a alegria de quem varou a noite em claro na sexta-feira (se era estudando, eu tenho até hoje minhas dúvidas).

Se bem que às vezes eu vario - pode ser algum matcha, ou suco de tudo o que tiver pra limpar o organismo -, mas tudo termina com café. Mesmo se for aqueles de latinha que a gente acaba comprando no meio do caminho.

Fotos: todas da autora, via celular, dá pra notar a linda qualidade que sai.











Wednesday, November 09, 2016

Low Life



Eu bem que tento estar bem mais ativa no que for possível, mas chega dia de folga/saio cedo do trabalho/feriado prolongado, eu não consigo dar conta em muita coisa que eu quero fazer e acabo nem fazendo 1% do planejado. Pior que o final do ano se aproxima, aí que vai ter coisa que nem vou conseguir fazer, mesmo tendo uma semana de folga.

Tempo eu estou tendo. Acho que até demais. Têm dias que eu consigo sentar diante do PC e fazer alguns posts, assistir meus doramas perdidos, ver noticiários antes de dormir (como eu estou trabalhando à noite, meu relógio biológico foi pro saco). Mas têm outros que eu fico horas diante da tela do PC e nada da inspiração chegar. Aí no meio do trabalho dá aqueles lapsos de inspiração... (papel e caneta, onde?)

Para terem uma idéia, eu cheguei a escrever quase 160 posts em um ano. Mas depois que mudei de emprego, caiu pela metade. Parece que eu tinha assunto pra caramba. Ou não.

Eu postava sobre doramas, agora nem isso. Nem resuminho do que andei assistindo estou fazendo. Imagine sobre kouhai-sempai da JE que estava tentando fazer e empacou. (Espero que volte o mais rápido possível). Agora, sobre assistir, uma boa parte estou assistindo via aplicativo das emissoras, que disponibilizam o último capítulo por uma semana de graça.

Isso também se aplica no quesito tarefas domésticas. Fazer faxina, separar o lixo e lavar roupa são tarefas que faço sempre sem pestanejar. O problema está sendo na cozinha, mais conhecido como lugar onde eu testava algumas receitas aleatórias e postava. Há quanto tempo eu não posto mesmo? Fico me perguntando até hoje porque eu sigo alguns sites de receitas rápidas, como Tastemade Japan, Delish Kitchen e outros... já que nem testei uma receita sequer!!

No assunto: cursos extracurriculares como eu fazia antigamente. Melhor nem falar... E olha que desde que mudei pra região Tokai, não foi falta de procurar (perdi a conta de quantas vezes fui no Nagoya International Center para obter informações, mas o que pegava pra mim era a turma - a não ser que eu comece tudo de novo, porque nunca se sabe se esqueceu de algo). Tentar nos próximos meses frequentar cursos de um dia de culinária ou artesanato, ou qualquer coisa, só pra não ficar parada. Literalmente.

Apesar de tudo, pelo menos ir nos eventos que eu costumo ir, em shows e cinema, ainda tenho um ânimo que nem eu sei de onde arranjo, mas aquela história: se você gosta, vamos lá. E chegando final de ano, já sabem: concertos e eventos como JPop Style e Comic Market. Afinal, se eu tenho ânimo de encarar seis horas de viagem, ficar o dia todo sem dormir direito, aproveitando o máximo tudo isso, então eu tenho que ter ânimo pra fazer as coisas que eu quero e não vou deixar como resolução de ano Novo porque sei que nunca funciona.

Vamos arregaçar as mangas e partir para a luta... diária.

Foto: Inazawa Park, tirada via celular mesmo, da autora.